Cadastre-se e fique sempre melhor informado

Notícias

24/12/2017 Encontro em Pedro Leopoldo discute a intercooperação

A Fecoagro Leite Minas, federação à qual a Casmil é filiada e reúne as cooperativas de leite de nosso estado, realizou no dia 25 de novembro um encontro de entidades e representantes do setor leiteiro que aconteceu em Pedro Leopoldo, município próximo à capital mineira.

O encontro reuniu cerca de 250 pessoas, entre elas líderes de mais de 40 cooperativas de leite do estado, e foi prestigiada por autoridades do segmento, como o Presidente do Sistema OCB, Márcio Freitas; o Presidente do Sistema Ocemg, Ronaldo Scucato; o Presidente da Centroleite de GO, Haroldo Max; o Presidente da CCPR / Itambé, Marcelo Candiotto; o Deputado Federal, Domingos Sávio; Deputado Federal, Marcos Montes; Deputado Estadual, Fabiano Tolentino e Deputado Estadual, Antônio Carlos Arantes.

União pelo fortalecimento do setor

A ‘intercooperação: cenários e perspectivas’ foi o principal tema do encontro. O Presidente da Fecoagro Leite Minas, Vasco Praça Filho, destacou: “A união que está cada vez mais forte que é o amadurecimento do cooperativismo, é muito importante para Minas Gerais e para o Brasil, pois as cooperativas fazem a diferença na geração emprego e renda, na produção de alimentos de qualidade”. Ele afirmou ainda que “No próximo ano esse encontro cooperativista será mais forte e mais intenso e com mais união”. O presidente acrescentou que “a Fecoagro Leite Minas ressaltou a necessidade de uma maior aproximação das entidades ligadas à produção de leite, visando cada vez mais à valorização da categoria, que gera alimentos, empregos e renda. Neste encontro conseguimos reunir lideranças dos agronegócio, do cooperativismo e lideranças políticas e todos foram unanimes em pregar a união e força que temos (leite). O objetivo da Fecoagro Leite Minas neste encontro foi de fortalecer as cooperativas do agronegócio. Como sempre digo: Juntos somos mais fortes!”

Federação envia ofício a Ministro

                A Fecoagro Leite Minas enviou ofício no dia 04 de dezembro ao Ministro Blairo Maggi relatando o encontro e a preocupação de se discutir futuras ações da federação, especialmente “a atual situação financeira e mercadológica das cooperativas de leite de Minas Gerais”. O ofício comunica ao Ministro que, entre os temas abordados com as lideranças políticas presentes, destacam-se a questão da importação de leite do Uruguai, o que frustrou fortemente os produtores do estado que precisam de ações efetivas do governo prasileiro para evitar “o encerramento de suas atividades”. Para a Fecoagro, a liberação da importação simboliza “o distanciamento do governo federal dos produtores rurais”.

                No ofício, a federação reforçou os pleitos que foram entregues em mãos no dia 1ºde agosto, no Gabinete do Ministério da agricultura, bem como no dia 25 de agosto, no SOS Leite, em Prata, Minas Gerais. São eles:

                1 – restrição da importação do leite em pó pelo Brasil

                2 – Liberação do crédito de PIS/COFINS e  ou sua utilização como garantia para linhas de crédito para as cooperativas

3 –Disponibilização de linhas de crédito emergencial e de longo prazo para as cooperativas de leite do estado

4 – compra institucional de leite pelo governo

Governo Federal atende a uma das reivindicações da federação

               

No seu site, no dia 8 deste mês a Fecoagro Leite Minas postou o comunicado sobre o novo decreto federal que garante maiores benefícios aos pequenos produtores. Essa medida integra conjunto de ações reivindicadas pela Federação, conforme está no ofício enviado ao Ministro Blairo Maggi, item 4.

O Decreto nº 9.214/2017, publicado no Diário Oficial da União (D.O.U.), beneficia os produtores e cooperativas da agricultura familiar de todo o País ao estabelecer novas regras para o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), incluindo a rede pública de saúde, os estabelecimentos prisionais e as unidades de internação do sistema socioeducativo no rol de beneficiários do PAA. O decreto também possibilita aos agricultores familiares, por meio de cooperativas ou associações, a contratação de prestação de serviços e ou aquisição de insumos de terceiros para beneficiar, processar e industrializar os alimentos a serem adquiridos no âmbito do programa, conforme dispositivos definidos pelo Grupo Gestor do PAA.

Presente no campo, na cidade, na vida do produtor.
Casmil, juntos somos mais fortes!